Aquele famoso favorzinho pode ser a faísca para gerar um mal estar entre o morador e o porteiro.

Existem momentos que alguns moradores mesmo sabendo que o porteiro não pode fazer aquele favorzinho, não hesitam em pedir e ainda ressaltam: É rapidinho!

Embora tenha o que faça, também tem o que não faz, e ai o morador se acha no direito de travar uma discussão, que pode render uma discussão entre ambos e um grande mal estar daqui pela frente.

E então qual seria a dica para moradores evitarem este tipo de conflito? É muito importante que os próprios moradores tenham consciência de que o condomínio é um local de moradia, mas que também para os funcionários é um lugar de trabalho no qual eles tem regras a seguir e não podem ficar atendendo demandas particulares de um ou outro morador, que não estão autorizados a fazer.

Por outro lado cabe ao síndico realizar treinamentos com os funcionários para que estes possam responder aos moradores de maneira pacífica, amparando-se nos registros de suas obrigações e atribuições nas portarias.

 

Prof. Jorge André Mattos do Carmo