Fim de ano! As 3 maiores preocupações de condomínios

Quando falamos em festejos de final de ano logo pensamos em uma reunião entre amigos e familiares. E quando pensamos em várias pessoas reunidas, logo vem em mente barulho, movimentação e muita comida e bebida. Agora imagine tudo isso dentro de um condomínio, seja nos espaços comuns ou dentro de suas residências. Pois é! Isso costuma acontecer na maioria dos condomínios no final do ano, e algumas vezes toda essa festividade pode trazer percalços e confusões. Por isso é preciso ter jogo de cintura e se organizar para que este momento seja só de alegrias.

Confira abaixo as três maiores preocupações dos condomínios nesse período do ano, e de que forma o planejamento pode ser feito para evitar maiores problemas.

ÁREAS COMUNS

É comum os moradores demonstrarem interesse em utilizar áreas comuns como churrasqueiras e salões de festa para as reuniões e festas de fim de ano. A dificuldade é que neste período a concorrência por esses espaços aumenta significativamente, e muitos condôminos costumam se interessar mesmo local e na mesma data. Dessa forma, para evitar problemas mais graves, é importante que o condomínio revise a política de uso desses espaços e faça adaptações necessárias. Alguns condomínios usam o sistema de reservas, enquanto outros promovem sorteios.

Outra área comum que precisa de uma atenção especial nesta época é o playground. Com a frequência de festas, muitas crianças — moradores ou visitantes — estarão circulando pelas áreas comuns do condomínio. Não podemos esquecer também que fim de ano implica em férias escolares. Por isso, para que  a garrotada tenha um espaço para se divertir com conforto e segurança, é  importante investir em um bom playground infantil ou certifique-se que o do seu condomínio esteja com a manutenção em dia.

BARULHO

Não fazer ruídos neste período é quase impossível. Conversas em tom alto, alta circulação de pessoas e cadeiras sendo arrastadas são exemplos de barulhos inevitáveis em uma festa que podem incomodar outras pessoas. Mas apesar do clima de celebração, é importante reforçar para os moradores que a lei do silêncio prevalece e, depois das 22h, o barulho deve cessar ou diminuir. Entretanto, é preciso também ter mais de tolerância com esta época em especial. Todos precisam ter bom senso e ceder um pouco. Vale a pena propor, em reunião, uma extensão provisória do horário de 22h para a meia-noite, por exemplo. No caso de briga entre vizinhos, estimule um diálogo amigável, onde um se coloque no lugar do outro.

SEGURANÇA

Quanto mais festas, maior a circulação de visitas e pessoas estranhas dentro do condomínio. Por isso, é importante reforçar a segurança nessa época do ano e treinar os funcionários para que ninguém entre sem autorização. Para facilitar, peça que os moradores deixem uma lista de convidados na portaria. Isso facilita a identificação das pessoas de forma mais organizada. No caso de festas dentro das residências, não tem outro jeito: os condôminos precisam autorizar a entrada de cada um dos visitantes pelo interfone.

Lise Lobo