Por assunto

Financeiro

Administrativo

Segurança

Social

Por perfil

Condomínios

Administradoras

Síndicos profissionais

Moradores

Morador que causa confusão pode ser expulso do condomínio?

Você conhece alguém que causa um pouco de constrangimento, bagunça e problema para os moradores do seu condomínio? Ficou pensando se os moradores problemáticos podem ser expulsos do condomínio?

A resposta é sim, mas precisamos entender quais as situações podem levar um morador a ser expulso, e como lidar com essa situação.

Viver em um condomínio traz grandes responsabilidades aos seus moradores. Embora a liberdade seja fundamental para o bem-estar e o aproveitamento do direito de residência, também temos de lembrar os deveres de cada um para garantir a segurança e o sossego.

Infelizmente, existem certos moradores que não levam essas responsabilidades a sério e que, mesmo com o aviso, continuam a causar problemas aos outros condôminos. Quando isso acontece, infelizmente, podem chegar a um ponto em que uma ação mais drástica deve ser tomada.

LEIA TAMBÉM: Conheça os 5 C’s do condomínio e veja como lidar com esses conflitos

Quais são os motivos para a expulsão de um morador?

É preciso distinguir que as expulsões dos moradores de um condomínio devem ser realizadas somente nos casos mais graves. Em primeiro lugar, é necessário destacar que nenhuma entidade pode invadir a privacidade de qualquer cidadão ou usar o seu poder como se estivesse a fazer julgamentos sem considerar a legalidade.

Em qualquer caso, as maiores razões para a expulsão de um morador de um condomínio são:

1. Violação dos estatutos do condomínio

Os estatutos do condomínio estabelecem algumas regras e regulamentos a serem seguidos, seja na utilização do espaço comum, na manutenção das áreas externas, nas taxas de condomínio, etc. Um morador que continue violando essas regras, mesmo após avisos dos administradores, pode ser expulso.

2. Causar problemas aos outros moradores

Os problemas de convivência entre os moradores são um dos principais motivos de expulsão de um condomínio. Por exemplo, se um morador é muitas vezes responsável por falatórios, brigas, discussões e outras formas de desentendimentos entre os outros moradores do condomínio e não tem demonstrado boa-vontade em mudar esse comportamento, pode ser expulso.

3. Crime ou comportamento ilegal

Em alguns casos, os moradores podem estar praticando atividades ilegais no condomínio, como tráfico de drogas, vandalismo, assaltos, etc. Nesses casos extremos, a expulsão pode ser a melhor opção para garantir a segurança e a paz dos outros moradores.

LEIA TAMBÉM: Regras importantes para evitar problemas no WhatsApp do condomínio 

4. Violação dos direitos dos outros moradores

Outro motivo para expulsão é o abuso ou a violação dos direitos dos outros moradores. Por exemplo, se um morador não cumpre as regras de limpeza da área comum, é responsável por sujeiras nos corredores, etc, é passível de expulsão.

Como é processada a expulsão de um morador?

A expulsão de um morador do condomínio não é uma tarefa fácil. Primeiro, é necessário estabelecer um motivo válido para expulsão. Em seguida, deve-se comunicar oficialmente e documentar todos os avisos passados.

Depois disso, é necessário que seja feita uma votação entre os moradores para validar a expulsão. Por último, a expulsão deve ser levada ao conselho ou à administração do condomínio para ser aprovada.

Cautela

Existem diversas razões que podem levar a expulsão de um morador de um condomínio, que vão desde o descumprimento das regras internas até o comportamento ilegal.

LEIA TAMBÉM: O condômino antissocial e o processo de expulsão

É importante destacar que é uma decisão grave e que deve ser tomada com muita cautela e responsabilidade.

Se você também sofre com moradores difíceis, compartilhe a sua experiência nos comentários abaixo e veja como outros moradores trataram estas situações. Pense no que funcionou para você e use-o como guia para lidar com os moradores difíceis.

Se você tiver dúvidas sobre como funciona ou qual a melhor solução para o seu condomínio, clique aqui e tire dúvidas online com nosso especialista condominial.