CRISE HÍDRICA – Dicas para economizar água no condomínio

Segundo a agência meteorológica da ONU, o número de pessoas que vivem com estresse hídrico deve aumentar devido à crescente escassez e ao crescimento populacional. Ainda de acordo com a organização, 40% das reservas hídricas do mundo podem encolher até 2030. Ou seja, hoje mais do que nunca promover o consumo consciente e responsável de água é de grande relevância.

No Brasil, vivemos a pior crise hídrica registrada nos últimos 91 anos, com escassez de chuvas, reservatórios em níveis baixos e maior demanda por energia.

Habitados por uma grande parcela da população, os condomínios precisam abraçar a ideia da economia. Síndico, condôminos, funcionários e administradoras, precisam se unir pela conscientização da utilização desse bem tão precioso.

A conta de água é uma despesa significativa para os condomínios, especialmente para os que não possuem hidrômetros individuais. Ela impacta diretamente na taxa condominial.

Sendo assim, preparamos esse post para te ajudar a colocar em prática alguns recursos para economizar água no condomínio.

LEIA TAMBÉM: Ajude o síndico a evitar desperdício de água

Foco na campanha

Nunca é demais lembrar da importância da economia de água. Por isso, espalhe nas áreas comuns do prédio, lembretes sobre dicas simples que, quando adotadas em conjunto, diminuem o consumo de água e as contas.

Nesses cartazes mostre exemplos simples de como a economia pode ser eficiente.

Por exemplo: ao escovar os dentes por alguns minutos com a água escoando, são gastos 12 litros de água. Se você fechar a torneira, usar a água apenas para molhar e enxaguar a escova e reservar uma pequena quantidade para bochechar em um copo, será gasto apenas meio litro.

Atenção para as manutenções

Manutenção em dia pode evitar vazamentos indesejados e que podem provocar grandes custos para o condomínio, moradores e para o planeta. Essa simples atitude pode reduzir em até 20% as contas do seu condomínio.

Por isso, programe inspeções constantes para detectar possíveis vazamentos. Fiscalize periodicamente, no mínimo, a cada seis meses, todas as válvulas e torneiras do prédio. 

Caso seja identificado qualquer tipo de vazamento, providencie de imediato o reparo.

LEIA TAMBÉM: Xô doenças! A importância da limpeza da caixa d’água em seu condomínio

Invista em tecnologia e inovação

A tecnologia como sempre pode ser uma grande aliada na busca de redução do consumo de água no condomínio.

Unir inovações a atitudes que geram economia de água pode fazer a diferença. Por exemplo, em caso de prédios antigos, a dica é trocar vasos antigos das áreas comuns e unidades, por modelos de caixa acoplada de dois botões, que reduzem o volume de 24 para 6 litros por descarga.

Outra dica é a instalação de redutores de vazão, que podem ser instalados em chuveiros e torneiras. Estes equipamentos simples são capazes de acabar com os “ladrões de água”, fazendo com que o consumo chegue ao nível ideal.

Os redutores vão desde aquela simples redinha de ferro que direciona a água, passando por válvulas redutoras de pressão até aparelhos mais sofisticados, como as torneiras automáticas ou com leitores fotoelétricos.

Individualização da água

Durante reuniões e assembleias de condomínio, proponha a troca da conta de água de consumo coletivo pela de consumo individual. Hidrômetros individuais em condomínios são muito eficazes para economizar água.

O consumo coletivo não dá uma ideia ao morador do quanto ele gasta, e do quanto a economia pode fazer a diferença. Com os hidrômetros individuais, cada apartamento paga apenas o que consumir e aí há uma motivação para que cada pessoa ou família adote hábitos que diminuam o uso de água.

LEIA TAMBÉM: INDIVIDUALIZAÇÃO ÁGUA: obrigatoriedade começa a valer em 2021

LEIA TAMBÉM HORA DE ECONOMIZAR! Vantagens na individualização de água e gás

Este sistema é ainda mais justo, se pensarmos que uma família de quatro pessoas paga a mesma coisa que uma idosa que mora sozinha. 

Reaproveite a água

Cada vez tem sido mais comum a implantação em condomínios de sistemas para reaproveitar água, seja armazenando água da chuva ou tratando e reaproveitando a água usada no banho e nas pias. Ela poderá ser usada para regar os jardins e limpar áreas comuns, por exemplo. 

Esse reaproveitamento consiste na construção de um ou mais reservatórios para armazenar a água. Embora essa seja uma prática atualmente mais voltada para condomínios novos, é possível também fazer adequações para implementar esses sistemas em condomínios mais antigos.

Pesquise e busque orçamentos que valham a pena.

Outras dicas

  • Cubra a piscina e consiga reduzir a evaporação em até 90%, o que pode gerar uma economia de 378,5 litros de água por mês.
  • Na hora de regar as plantas opte por regador, aspersor ou com mangueira do tipo esguicho-revólver. Um sistema de rega automatizado também é excelente para o jardim e para o consumo de água. 
  • Nada de mangueira para varrer a calçada. Opte por vassoura e economize 279 litros a cada 15 minutos.