4 ideias para gerar renda extra no condomínio

Em período de crise, reduzir a taxa condominial pode ser uma boa forma de aliviar as despesas dos brasileiros que moram em condomínios. Mas como conseguir essa proeza em meio ao aumento dos preços no país, como água, luz, gás, combustíveis, que refletem nos espaços condominiais?

E que tal gerar renda extra para o condomínio que mora? Sim é possível! Abaixo 4 sugestões muito utilizadas.

Aluguel para publicidade

Para os condomínios localizados em áreas de grande movimentação de pessoas e veículos, o aluguel para publicidade pode ser uma boa ideia para aumentar a receita mensal.

Existem vários meios de publicidades, como os totens, murais, televisões dos elevadores e os outdoors. No entanto, antes de decidir implementar qualquer uma dessas opções, é preciso avaliar qual delas se encaixa melhor no perfil do seu condomínio.

Vale lembrar que o síndico deve agir de acordo com a convenção condominial, e claro, sempre consultar os moradores em uma assembleia de condomínio.

LEIA TAMBÉM HORA DE ECONOMIZAR! Vantagens na individualização de água e gás

O síndico deve chegar à reunião com ao menos uma proposta em mãos, ajudando a esclarecer as vantagens para os moradores.

Atenção ainda à questão da legislação no seu município. Procure descobrir o que ela dispõe sobre a publicidade nas edificações.

Locação para instalação de antenas

A depender da altura e localização do prédio, existe a possibilidade de locar um espaço na cobertura para a instalação de antenas de telefonia e internet, ou até mesmo de placa solares.

Nesses casos, o esforço e investimento por parte do condomínio são mínimos e o negócio pode render um bom dinheiro mensal. Para se ter uma ideia, um prédio em São Paulo recebe quase R$ 8 mil por mês com a locação do terraço para empresas de telecomunicação.

A atenção para esse tipo de renda extra é a necessidade do auto de vistoria do Corpo de Bombeiros em situação regular além de precisar apresentar o laudo de inspeção do Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas (SPDA).

LEIA TAMBÉM: Saiba como reduzir despesas fixas dentro do condomínio

Além disso, entre os requisitos para alugar o espaço estão:

  • AVCB em dia
  • Estar a mais de 50 metros de escola infantil, hospital ou posto de saúde e a mais de 100 metros de outra torre
  • Apresentação de documentos por parte da empresa locatária: plantas, seguro com a cópia da apólice, projeto de para-raios com atestado, atestado de estabilidade estrutural, ART – Anotação de Responsabilidade Técnica e responsabilidade civil, Laudo Radiométrico, licença de funcionamento de estação da Anatel e atestado de impermeabilização do local pós instalação.

A decisão também precisa passar por aprovação em assembleia. Lembrando que não há legislação específica em relação ao quórum necessário para aprovar a medida.

Atualmente, existem organizações especializadas que funcionam como uma espécie de classificados, facilitando o contato entre o condomínio e companhias interessadas em novos lugares para instalar suas antenas.

Venda de lixo reciclável e óleo de cozinha

Os condomínios que incentivam a coleta seletiva podem usufruir dessa bela atitude garantindo uma renda extra para condomínios.

Tendo o lixo separado e limpo, os diferentes resíduos sólidos recicláveis podem ser vendidos para cooperativas e empresas especializadas no reaproveitamento de materiais, como papel, plástico, vidro e metal.

LEIA TAMBÉM: Ações para um condomínio mais sustentável

O recolhimento de óleo de cozinha dos apartamentos também pode ser vendido, pois ele serve de matéria-prima para fazer sabão e detergentes. Nesse caso, além da venda, o condomínio pode fechar uma parceria, ajudando a economizar nos gastos com produtos para a limpeza de áreas comuns.

Locação de áreas comuns ociosas

Salas e depósitos sem uso no condomínio podem ser alugados para condôminos que estejam procurando um lugar para guardar as coisas. O mesmo vale para vagas de garagem que não são utilizadas e até mesmo áreas de lazer.

Essa é uma alternativa que não gera custo ao condomínio, pois não foi preciso comprar nenhum equipamento, nem mesmo investir em infraestrutura.

Mas antes, busque saber o que diz as regras do seu condomínio sobre a utilização dessas áreas e lebre de levar a ideia para aprovação em assembleia.