5 investimentos importantes para a segurança condominial

Quando uma família decide morar em um condomínio, a segurança é a palavra chave para essa decisão. Afinal de contas, que não quer viver de forma segura?

Se a SEGURANÇA é a principal características que leva as pessoas a procurarem uma vida dentro desses espaços, nada mais coerente do que focar em investimentos nesse setor.

Quando falamos em segurança, o destaque vai tanto para a parte de equipes especializadas no combate a violência, como seguranças, até ao que diz respeito a parte física do espaço, que também permite uma segurança ao morador.

Nessa postagem vamos destacar 5 importantes investimentos nessa área de segurança que acreditamos necessitar de um olhar mais atento de síndicos e administradores. Melhorias em determinados setores do condomínio podem significar espaços mais seguro e atraentes para muitas famílias.

Segurança especializada

Casos de violência são frequentes no Brasil, que o digam as manchetes de jornais que mostram o tempo inteiro casos de pessoas que foram assaltadas na porta de casa ou de prédios que foram invadidos por bandidos.

Sendo assim, nada mais importante do que investir em uma empresa de vigilância séria e especializada, assim como na instalação de câmeras de monitoramento, portões com fechamento automático e criação de protocolos que reforcem a segurança.

Busque equipes, ou empresas especializadas, que já podem oferecer um gama de serviços. Par anão precisar terceirizar parte por parte.

Para-raios

Você sabia que o Brasil é líder mundial em registros de raios? Segundo o Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais(Inpe), o Brasil possui uma média de 77,8 milhões de raios por ano. Por isso mesmo, o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) é indispensável para manter os prédios seguros.

Além da obrigatoriedade dos para-raios nos prédios, que devem ter a instalação de acordo com a normatização ABNT, é preciso ainda ter atenção a manutenção desses equipamentos que deve ser feita duas vezes no ano.

LEIA TAMBÉM: Saiba a importância dos para-raios nos condomínios

Sem para-raios, o condomínio fica suscetível a danos na estrutura física dos prédios e queima de elevadores, câmeras, portões e eletrodomésticos, caso o pior aconteça.

Sem esquecer das chances de acidentes e choques elétricos atingirem pessoas – funcionários e moradores, enquanto a corrente é descarregada no solo.

Fica a cargo do síndico escolher a empresa especializada para instalar o modelo mais adequado.

No Brasil, existem dois tipos de para-raios mais usados, são eles;

  • Para-raios Franklin – modelo mais comum, sendo composto por uma haste metálica que desce até o solo conduzindo toda energia do raio através desse cabo único.
  • Para-raios de Melsens – ao contrário do Franklin, possui uma série de hastes condutoras, no qual todo o sistema é composto por uma armadura metálica. 

Já as exigências relacionadas a para-raios são determinadas pelos órgãos abaixo:

  • ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas);
  • Prefeitura do município e do estado;
  • Corpo de Bombeiros da região.

Elevadores modernos

Elevadores antigos tendem é exigir maior manutenção e gera maior insegurança em relação aos moradores. Por isso modernizá-los pode ser um investimento e tanto para todo os condôminos.

Entres os maiores benefício da modernização dos elevadores estão:

  • Segurança – será tudo novo, sem peças antigas, com defeito, e muitas vezes até recondicionadas. Além disso, raramente acontecem defeitos, isso já é suficiente para aceitar como um investimento necessário onde todos serão beneficiados.
  • Aparência mais moderna – para quem acessa o elevador a aparência moderna já possibilita uma sensação de segurança.
  • Tecnologias mais avançadas – sistemas mais antigos funcionam através de relês, enquanto os novos utilizam comandos eletrônicos microprocessados.
  • Economia de energia – outro fator relevante na conta de despesas de um prédio, visto que diminuirá com a implantação de sistemas de comandos modernos e avançados.
  • Valorização do imóvel – é outro atrativo com a chegada de elevadores mais modernos, aliás, o condomínio propriamente falando é valorizado, e ainda, promove maior agilidade entre os andares.

Segundo a legislação, os condomínios são obrigados a terem uma empresa de manutenção para os elevadores. Eles devem realizar vistorias constantes do estado do motor do elevador, do operador de porta e do quadro de comando.

Essas vistorias podem apontar a necessidade de o equipamento. De acordo com especialistas, a partir de 15 anos, começa a haver desgaste de componentes, travamentos e corrosão mecânica em decorrência do uso muito frequente.

LEIA TAMBÉM: Trabalho nas alturas em condomínios. Entenda a norma NR 35

Geradores de energia 

O investimento pode ser alto, mas os benefícios são inúmeros, a exemplo da garantia de que os sistemas e equipamentos continuarão funcionando em casos de falha ou queda de energia da concessionária.

O equipamento garante que elevadores, portões eletrônicos, interfones, alarmes, portarias remotas, luzes das áreas comuns e até dos apartamentos continuem funcionando.

Os geradores funcionam à base de combustível, que pode ser gás, etanol, biocombustível ou diesel, sendo este último o mais utilizado em condomínios.  A potência do equipamento é medida em kilovolt ampere (KVA). Quanto mais alta a potência do gerador, mais sistemas e aparelhagens do prédio serão supridos.

Geralmente os empreendimentos optam por modelos que funcionam por cerca de seis horas, para manter elevadores, portões eletrônicos, sistemas de segurança etc. 

Para o condomínio que não quer adquirir um equipamento do tipo, a locação de geradores é uma opção viável economicamente na hora de incorporar esta solução ao condomínio.

A empresa locatária fica responsável pela indicação do modelo com a potência, o tipo de combustível e a emissão de ruídos mais adequados a cada demanda. Além disso, oferecem manutenção e monitoramento com equipe especializada.

 Áreas de convívio

Muitos condomínios chamam atenção e se destacam pelas quantidades de áreas de que ele tem. Academias de ginástica e piscina estão entre os espaços mais procurados.

LEIA TAMBÉM: VERÃO! Manual de etiqueta para uso de áreas comuns

Playground, salão de festas, espaço gourmet e sala de jogos também podem fazer a diferença. Quem tem filhos pequenos, por exemplo, costuma valorizar muito os espaços kids.

Qualquer que seja o investimento em condomínios é importante sempre contar com bons profissionais na sua execução para que esses locais sejam seguros para serem utilizados. Lembrando ainda sobre a importância de manter em dia as manutenções.