Lições para quem deseja empreender em tecnologia e inovação

Já tem alguns anos que empreender ganhou um protagonismo na economia mundial. E no Brasil o cenário é o mesmo. Segundo dados do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), um programa de pesquisa e monitoramento global de empreendedorismo, o país possui um número de empreendedores acima da média global. Em 2019 foram registrados 52 milhões de brasileiros com negócio próprio.

E quando o assunto é empreendedorismo que tange negócios ligados a tecnologia, especialistas apontam que há oportunidades a serem aproveitas.

Outra pesquisa, desta vez da consultoria Deloitte, aponta que seis em cada dez executivos têm reservado recursos para investir em tecnologia da informação. As empresas estão investindo, em média, 7,6% das receitas líquidas no setor.

Outro setor de empreendedorismo que se prolifera em velocidade exponencial nos mais diversos segmentos envolve as startups, aquelas empresas focadas em identificar problemas e, a partir da solução, criar um negócio. Elas se tornaram uma febre para os jovens que anseiam ter a própria empresa, mas possuem poucos recursos.

A escolha pelas startups também está ligada a outros fatores, como autonomia para tomar decisões, flexibilidade de horário e identificação com o negócio, além da busca por realização e reconhecimento. 

Entenda melhor o cenário das startups

Para uma empresa ser considerada uma startup ela precisa possuir duas características essenciais: ser repetível e escalável. Outra coisa, é que elas na maioria das vezes utilizam tecnologia e modelos de negócios diferenciados. Uma startup pode apresentar soluções para praticamente todos os setores, desde saúde até finanças.  

LEIA TAMBÉM: Conheça as vantagens de um negócio digital

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups), mostra que de 2015 até 2019, o número de startups no país mais que triplicou, passando de 4.151 para 12.727 (um salto de 207%).

A instituição prevê ainda um cenário positivo para os próximos anos. Graças a alguns avanços importantes listados abaixo;

  • Avanço da agenda do Marco Legal das Startups no Congresso Nacional, que contribuirá positivamente com o empreendedor, startups, ecossistema e todo o ambiente regulatório do mercado. 
  • Descentralização e regionalização do conteúdo, oportunidade, capital, acesso à mercado, a fim de desenvolver melhor o país e ecossistemas de inovação em comunidades iniciantes.
  • Avanço do amadurecimento e densidade do ecossistema, com o fortalecimento de players de formato e participação cada vez maior e mais assertiva das grandes corporações e mercado em geral.

Quer ter uma startup?

Para empreendedores que não querem começar do zero, uma opção é o modelo White Label, que é quando uma empresa detentora de algum produto ou serviço permite que outras companhias ou pessoa física revendam essas mercadorias utilizando uma marca própria.

O grande barato é que o cliente não vai saber da existência do desenvolvedor da solução, já que você pode customizar todo o produto com a identidade da sua empresa.

No setor de tecnologia ele também é muito aplicado – principalmente no mercado de software de gestão e plataformas de e-commerce – pois o custo para se criar um produto inovador e ainda patenteá-lo não é nada barato.

E é justamente em meio a essa dor, de empreendedores com recursos limitados, que surgem as empresas white label, com a proposta de oferecer parcerias na qual todos saem ganhando, já que cada um consegue focar em sua atividade fim.

Por exemplo, no mundo condominial, a pessoa ou empresa interessada em ter seu próprio aplicativo de condomínios pode utilizar a tecnologia do MyCond, criar a própria marca e começar a vender.

LEIA TAMBÉM: Porque ter um software de gestão de condomínio

Veja abaixo as vantagens.
  • Permite receita recorrente e aumenta seu ticket médio na sua carteira de clientes.
  • Fideliza o cliente com a sua marca evitando perda de contratos.
  • Gera uma base de dados de síndicos e condôminos que permite vender outros produtos/serviços parceiros (seguros, por exemplo).
  • Deixa seu app pronto em 7 dias.
  • Nenhum custo de desenvolvimento ou manutenção.
  • Só pague pelas unidades que vender.
  • Venda pelo preço que quiser.
  • Margem mínima de lucro atual de 150%.

Mas antes de começar vamos aprender algumas lições importantes, porque mesmo encontrando uma tecnologia já pronta, empreender é desafiador.

Mantenha-se sempre atualizado

Um profissional com perfil empreendedor está sempre aprendendo. Cursos, pós-graduação, MBA são oportunidades de adquirir mais conhecimento. Mas você pode ir além. Procure saber o que profissionais como você estão fazendo, leia livros por conta própria, converse com outras pessoas da área e não se canse de aprender cada vez mais.

Lembre-se que as tecnologias, conceitos e metodologias estão em constante atualização e ficar atento é o começo para se diferenciar nesse mercado.

Pesquise o mercado

Além de entender e se aprofundar na área que pretende atuar você pode minimizar riscos ao estudar o mercado e a demanda que pretende suprir.

Faça pesquisas com empresas da mesma área, pesquisas com “possíveis clientes” ou com persona que você pode criar. Você pode ainda realizar testes A/B selecionando públicos específicos e entendendo o comportamento dos mesmos em cada caso.

Para facilitar a abordagem e entendimento se coloque no lugar do futuro cliente e faça perguntas do tipo: “Eu teria interesse neste produto? Eu usaria esse serviço? Que problema eu pretendo solucionar?”.

As respostas podem ser o ponto de partida para as tomadas de decisão e pode até influenciar ou modificar o posicionamento do empreendimento no mercado.

Lembre-se do planejamento

O planejamento é essencial para a compreensão das atividades, metas, valores, missão e visão da empresa. Ele ajuda ainda na antecipação de problemas e oportunidades, auxiliando no direcionamento das empresas, de acordo com as oportunidades do mercado em que ela está inserida.

Quando você fizer esse planejamento vai logo perceber as vantagens existentes. Mesmo sendo um plano simples, é preciso fazê-lo e torná-lo acessível a todos da empresa.

Se você não sabe por onde começar, não te ideia de como montar um plano de ação. Pode pedir suporte ao Sebrae, que faz um ótimo trabalho junto aos empreendedores.

LEIA TAMBÉM: Transformação digital – condomínios precisam estar prontos para o mundo pós-pandemia

Cliente sempre em primeiro lugar

Se você vai empreender em tecnologia precisa estar ciente de que está prestes a enfrentar um mercado muito amplo. Por essa razão, para conseguir destaque, procure entender a fundo o público e sair na frente com a solução que ele de fato precisa.

Então mais uma vez vamos partir para perguntas importantes. “O que preciso melhorar no meu produto ou serviço?”, “Estou atendendo da melhor maneira que posso?” e “Por que tem clientes saindo da minha base?”.

Perceba que no mercado termos como “Experiência do cliente” “Customer Success” “Controle total da Qualidade” estão super em alta. E no final todos eles querem dizer a mesma coisa. Os clientes estão no centro das decisões. Sabendo disso, nada de economizar esforços para entender e se aproximar deles.